counter free hit invisible

8. Incursões na música infantil

Antes de entrar no assunto principal desta nova postagem, preciso fazer um complemento ao texto do sexto post deste blog, intitulado “Diálogos musicais”, no qual falei das gravações da canção “Rosto”, de minha autoria. Por esquecimento, deixei de incluir no texto o link para a versão acústica da canção, que o grupo Trinca Acústica também gravou, em 2006. A gravação tem Eduardo Emílio nos vocais, Hugo Sinisgalli no violão e Flavio Felix no contrabaixo. Aí vai o link:

Feito o reparo, passo a falar agora de um projeto autoral, ao qual me dediquei a partir de 2004. Quatro anos antes, em 2000, eu havia lançado um livro infantil chamado Quermesse Maluca, pela Formato Editorial, então uma editora mineira com sede em Belo Horizonte. O livro contém 12 poemas que enfocam vários elementos das festas juninas, entre os quais se destacam: a pipoca, o pinhão, a fogueira, o balão, a quadrilha, o correio elegante, o pau-de-sebo, os fogos de artifício, os santos relacionados às datas comemorativas, etc.

Algum tempo depois do lançamento do livro, tive a ideia de musicar os poemas e comecei a conceber harmonias e melodias para cada um deles. Com a ajuda do maestro, produtor e arranjador Paulo Madio, finalizei algumas composições em parceria, e passamos, em seguida, a cuidar das gravações das canções. O trabalho foi todo dirigido, produzido e arranjado pelo próprio Paulinho e também por Alexandre Souza, técnico de gravação e um dos donos do estúdio The Brainless Brothers, onde as canções foram gravadas, mixadas e masterizadas.

Na execução desse projeto, pude contar com a participação de diversos amigos e parentes músicos, que deram “canjas” em várias canções. Foi uma experiência muito gratificante, pois me permitiu interagir e criar em conjunto com quase toda a comunidade musical da qual eu faço parte. O CD foi lançado em 2005, num evento em um bar de São Paulo que teve apresentações ao vivo e contou com a presença de muitas pessoas.

A canção “Convite”, que abre o CD, é de minha autoria, mas recebeu um arranjo vibrante do Paulinho. Ela tem um coro composto pelo próprio Paulinho, por Flavio Felix (meu irmão), por Bruno Prada (de quem falarei oportunamente) e por mim. Confiram como ficou a gravação e venham para a festa:

A segunda canção do CD, “Pipoca moderninha”, composição minha em parceria com o Paulinho, tem a participação vocal de Júlia Félix, que, apesar do sobrenome, não é minha parente, muito embora faça parte da mesma família musical. A letra da canção personifica de forma bem-humorada a figura da pipoca, tão presente nas festas juninas. O refrão, interpretado por Júlia, faz uma homenagem ao conhecido sucesso da Jovem Guarda, “Vem quente que eu estou fervendo”, de Carlos Imperial e Eduardo Araújo, citando o verso principal da canção, que é cantado, porém, com outra melodia.

A terceira canção do CD, “Pinhão esquentado”, também se vale do humor para personificar outro elemento característico das quermesses, sobretudo no sul e no sudeste do país: o pinhão. A canção é também uma parceria minha com Paulinho Madio. Eu a canto sozinho, com acompanhamento instrumental do Paulinho, na guitarra e no baixo, e do Alê Souza, nos teclados e na programação de bateria.


Nas próximas postagens, apresentarei outras canções do CD.

Divirtam-se!

Abraços,

HF.